Significado de i-ne-fá-vel (adjetivo)
1. Que não pode ser nomeado, designado ou descrito, por ser naturalmente complexo, intenso ou belo; indescritível.
2. Que provoca grande prazer ou contentamento; inebriante.
3. Que não se pode descrever por palavras; inenarrável.
4. Etimologia (origem da palavra inefável) do latim ineffabilis.

Clarice Lispector, quem me presenteou em um texto com a palavra “Inefável” (e depois, o Caio F. com a palavra Epifania ❤)

Eu tenho um magnetismo “clariciano” com o significado das palavras. Inefável é uma dessas que desde que encontrei com sua etimologia no dicionário, consigo entender o que é esse sentimento à flor da pele. Para descrever nosso universo e nos colocarmos no mundo, nós mulheres (principalmente mulheres negras), ainda precisamos correr e nos…


Seminário e pesquisa para a disciplina de Técnicas de Ilustração Editorial
Pós-Graduação em Ilustração — Univali Campus Florianópolis
Professor: Clóvis Geyer
Acadêmicas:
Andréia Corazzini e Giselle Zart
Julho/2016

Onde estão as ilustradoras?

“Entre os finalistas da HQmix de 2015, 13% das obras escolhidas eram produções exclusivamente femininas — 82% eram criações masculinas e os 5% restantes eram colaborações entre os dois sexos.”

Carolina Ito

“Infelizmente, há poucas mulheres na história dos quadrinhos. É uma realidade”. Esta foi a explicação de Franck Bondoux, diretor do Festival de Angoulême Internacional de Quadrinhos, para a ausência de mulheres na lista dos 30 indicados ao prêmio deste ano.


Foto de You X Ventures no Unsplash

Este case mostrará o fluxograma auxiliando na definição de requisitos de projeto utilizando personas e demais pesquisas informacionais no desenvolvimento de uma capa de livro sobre culinária informal.

Nota: Capítulo do livro “Gestão Visual de Projetos: utilizando a informação para inovar” do professor Júlio, durante a pós-graduação em Ilustração, na Univali. O livro completo está no link da Amazon.

Tendo em vista essa necessidade para se obter os requisitos norteados para uma solução projetual, os autores e o professor aplicaram um método de desenvolvimento de projeto que detalha passo a passo atividades para auxiliar o desenvolvimento da pesquisa informacional. O…


The Dark Side Of The Moon — Pink Floyd (1973) e Isaac Newton — a luz branca sendo dividida em faixas de cores, que conhecemos como espectro eletromagnético.

Pensar na influência e nas emoções refletidas através das cores é uma das bases essenciais para a criatividade e a evolução da arte. Na história da comunicação humana, podemos observar o quanto as referências visuais — iniciando com os elementos naturais — foram importantes para descrever as formas primitivas de expressão, com desenhos em pedras, pinturas e inscrições com pigmentos, nas representações pré-históricas.


Ana C.

Eu queria até mesmo
saber ver,
e num movimento redondo
como as ondas
que me circundavam, invisíveis,
abraçar com as retinas
cada pedacinho de matéria viva.

Eu queria
(só)
perceber o invislumbrável
no levíssimo que sobrevoava.

Eu queria
apanhar uma braçada
do infinito em luz que a mim se misturava.

Eu queria
captar o impercebido
nos momentos mínimos do espaço
nu e cheio

Eu queria
ao menos manter descerradas as cortinas
na impossibilidade de tangê-las

Eu não sabia
que virar pelo avesso
era uma experiência mortal.”

Ana Cristina Cesar


Inevitavelmente ouviremos esse termo em nosso campo de atuação, no entanto, se precisamos fazer uma definição seria uma teoria bastante vaga: layouts nítidos e em blocos, com caráter minimalista e fontes sem serifa.

Na verdade, para muitas pessoas, aplicar o design suíço em seus projetos é basicamente sinônimo de uso de Helvetica — cujo próprio significado do nome é “Suíça” (ou Helvetia, em Latim — que se tornou Helvetica — de Confœderatio Helvetica) tipografia projetada em 1957 e que chegou ao mercado em 1960.

O metrô de Nova York usa Helvetica. Imagem: wnyc.org
O metrô de Nova York usa Helvetica. Imagem: wnyc.org
O metrô de Nova York usa Helvetica em suas placas. Imagem via wnyc.org

A importância da Helvetica não pode ser subestimada; a fonte é infinitamente útil para tudo, desde…


Como os designers destruíram o mundo e o que podemos fazer para consertar

Atuar nessa área é estar constantemente descontruindo e reconstruindo pensamentos, ideias e percepções, entender o que o outro sente, perceber como olhos, sentidos e emoção se conectam, aprender com críticas e evoluir constantemente. Como reflexão trago aqui um trecho do livro Ruined by Design do Mike Monteiro. Cheguei nessa parte que acredito ser essencial apara a leitura, em qualquer ponto de sua jornada. O artigo original do autor está neste link aqui.

Designers são antes de tudo seres humanos.

Antes de ser designer, você é um ser humano. Como qualquer ser humano no planeta, você faz parte do contrato social. Nós compartilhamos um planeta. Ao escolher ser…


Você me pergunta sobre como foi meu dia
E eu te respondo somente a meia-noite
Mas pelo menos eu ofereço a sinceridade
De que está caindo e eu estou

Esse álbum melancólico e viciante chamado Violeta, da banda Terno Rei tem me acompanhado nesses dias de quarentena. Sabe aquela frase que a gente ouviu alguns meses atrás dizendo “saudade do que a gente não viveu ainda?” É um pouco sobre isso.

Se quiser, dê play e acompanhe minha linha do tempo… que por conta do coronavírus, se parece com um gif em loop. …


Artigo sobre UX Design para o blog da Trezo — Adobe Magento Commerce
Março/2020

Estamos na chamada era do cliente. Com o acesso à internet e às mídias sociais cada vez mais facilitado, as informações, relacionamentos e avaliações sobre serviços e produtos não param de crescer. Quase tudo o que precisamos encontra-se em alguns cliques. Será cada vez mais difícil separar experiências online e offline. Independente da forma que o cliente for abordado, pela internet, por telefone ou pessoalmente, o contato e a preocupação com as pessoas deve ser o centro das atenções. …


Chego ao fim de mais um ano e penso muito sobre o final das histórias, o destino, e, especificamente nos últimos tempos sobre a continuação (no caso um vício que a Netflix tem feito muito bem — vide maratonas de séries inteiras em um final de semana). Como leitora e uma aspirante a livreira, acredito demais que o percurso é mais importante que chegar ao final. Sabe como é, aquele conceito do monomito, que é uma jornada cíclica presente em diversos arquétipos e mitos. É sobre isso que eu revisitei minhas leituras desse percurso.

Como eu me sinto no final…

Giselle

daydreamer

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store